Alteração em Vias de Escalada no Pão de Açúcar

Alteração em Vias de Escalada no Pão de Açúcar

Informamos que devido à obra de construção da Tirolesa no Pão de Açúcar as seguintes alterações foram necessárias nas vias de escalada do setor para viabilizar o acesso ao cume:

a) O final da CEPI precisou ser redirecionado. Assim, a penúltima parada deve ser feita no platô que fica na altura da última horizontal da Secundo;

b) A parada final do CEPI ficou entre os bondes de carga;

c) O final da Secundo ganhou uma parada dupla após o domínio da última horizontal;

d) A saída da Secundo deve ser feita pela CEPI.

Estamos trabalhando para viabilizar a escalada durante a fase de construção da tirolesa e garantir o acesso ao cume da montanha através das vias de escalada.

Para maiores detalhes sobre o assunto, leia o documento Considerações sobre Projeto de Tirolesa Pão de Açúcar. (Link: http://feemerj.org/wp-content/uploads/FEMERJ-MAN-2022-02-Consideracoes-sobre-Projeto-de-Tirolesa-Pao-de-Acucar-v2.pdf)

Seguimos a disposição para dúvidas através de nosso Instagram @femerj.

Diretrizes para Relacionamento da FEMERJ com Projetos de Trilhas de Longo Curso

Diretrizes para Relacionamento da FEMERJ com Projetos de Trilhas de Longo Curso

Com o advento de um número cada vez maior de projetos de Trilhas de Longo Curso, e levando em consideração as lições aprendidas com experiências passadas na lida com esse tipo de projeto, a FEMERJ elaborou um documento com as, visando esclarecer aos responsáveis por esses projetos quais são as premissas fundamentais para haver apoio a esse tipo de projeto por parte da FEMERJ.

Esse documento consolida os principais pontos críticos vivenciados em relação ao tema e reforça nosso posicionamento baseado na cultura do montanhismo, observando a ética e valores fundamentais de autonomia e respeito à diversidade.

Dos dois projetos com os quais a FEMERJ já tem um histórico de apoio, o Caminho da Mata Atlântica (CMA) já assinou o termo de reconhecimento e anuência com essas Diretrizes, e a Trilha Transcarioca (MTT) segue em análise do mesmo para tomar sua decisão quanto à adesão a essas Diretrizes.

Comunicado – Via Passagem dos Olhos em manutenção

Comunicado – Via Passagem dos Olhos em manutenção

Informamos que a via “Passagem dos Olhos” encontra-se em manutenção, com recomendação de não ser usada, salvo pela equipe de trabalho, até a conclusão.

Começamos a manutenção no último dia 31/07/2021 e ainda não temos a data de conclusão, diante da complexidade da manutenção da parte cabeada.

O trecho de cabo de aço encontra-se em condições precárias, por tanto, recomendamos fortemente que a via não seja escalada. Ignorar essa recomendação, coloca em risco a integridade do escalador podendo ocorrer acidentes gravíssimos.

Atenciosamente,
Diretoria Técnica do CERJ

COMUNICADO – Passagem dos Olhos

A  Via “Passagem dos Olhos”, situada na Pedra da Gávea, está no cronograma de reforma das vias do CERJ-Centro Excursionista Rio de Janeiro.

Ela será a próxima a ser efetuada, mas como ainda estamos em uma pandemia, os processos tendem a ser um pouco mais demorados. Foram identificados 3 pontos de DETERIORAÇÃO DECORRENTE DA AÇÃO DO TEMPO no trecho com cabo de aço da via. Com isso, recomendamos que a via seja evitada ou feita com o maior cuidado e atenção possível.

Ler mais

Montanhismo é declarado patrimônio cultural imaterial do Estado do Rio de Janeiro

Montanhismo é declarado patrimônio cultural imaterial do Estado do Rio de Janeiro

Foi aprovado no dia 11/02/2021 o Projeto de Lei 1.199/2019 que considera como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro a prática do Montanhismo.

O reconhecimento do Montanhismo como patrimônio cultural é uma bandeira histórica levantada pela FEMERJ e a CBME. Este reconhecimento é um marco importante para o estímulo e para preservação do montanhismo como uma destacada atividade esportiva e recreativa secular que possibilita a experiência de uma vivência responsável em ambientes naturais, tanto em termos ambientais, como de segurança física. Com o decisivo apoio do Deputado Carlos Minc, sempre sensível ao tema da conservação ambiental e de questões relacionadas ao montanhismo, foi possível esse reconhecimento como um instrumento legal. A justificativa do Projeto de Lei explicita a importância desse reconhecimento:

“O montanhismo sintetiza a comunhão do homem com a natureza como poucas atividades. A experiência adquirida em mais de um século de montanhismo atribui uma característica única em relação à inegável responsabilidade com que ele é praticado hoje no Rio de Janeiro, tanto em termos de segurança física quanto ambiental.

Ler mais